A saúde mental é um dos principais fatores para se ter uma boa qualidade de vida, acarretando em bons relacionamentos, produtividade, felicidade e afins. É necessário trazer esse diálogo para o ambiente de trabalho, pois é o local em que canalizamos a maior parte do nosso dia.

Ao analisar estatísticas do INSS, é possível verificar que, em 2013, o transtorno mental foi a 3ª principal causa de afastamento do trabalho no Brasil. Tal realidade ainda não foi modificada, como apontam dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho. Em 2020, a concessão do auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, ocasionados por transtornos mentais bateu seu recorde, com 576 mil afastamentos, 26% superior em comparação ao ano de 2019.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que a cada US $1,00 investido em tratamentos para ansiedade e depressão, existe um retorno de US $4,00, na medida em que os trabalhadores conseguem ter disposição para executar o seu trabalho. Ainda de acordo com o relatório da OMS, estima-se que os transtornos mentais têm um impacto danoso na economia global de aproximadamente US $1 trilhão por ano por perda de produtividade.

Tais estudos e dados demonstram como os transtornos mentais prejudicam o trabalhador e sua relação de trabalho. As empresas que se preocupam com o bem-estar do indivíduo e um ambiente de trabalho saudável têm uma maior produtividade e desenvolvimento laboral dos seus trabalhadores.

Um estudo realizado pela Mental Health Foundation indica que abordar o bem-estar no ambiente de trabalho aumenta em 12% a produtividade. A promoção e cuidado com a saúde mental dos empregados não é mais um diferencial, mas sim uma necessidade, garantindo-se uma qualidade de vida ao indivíduo, e, por conseguinte, uma maior produtividade.

Algumas maneiras das empresas promoverem a saúde mental de seus colaboradores são:

  • Implementação de assistência à saúde mental: existem diversos tipos de programas que auxiliam no desenvolvimento do bem-estar dos trabalhadores, dentre elas a disponibilização de uma rede de profissionais da saúde, principalmente psicólogos;
  • Comunicação: canais de comunicação em que o trabalhador se sinta confortável e seguro para falar sobre suas preocupações, discriminações, assédios, entre outras situações que gerem desconforto e angústia. É importante que esse canal de comunicação seja formado por profissionais especializados para esse tipo de escuta;
  • Inclusão de projetos saudáveis: incentivar a prática de boa alimentação, exercícios físicos, meditação, yoga, entre outras atividades de bem-estar;
  • Política de saúde mental: entender as necessidades e demandas dos empregados individualmente e implementar uma política corporativa direcionada para apoiá-las;
  • Palestras sobre saúde mental: fomentar o conhecimento e conferir suporte para os trabalhadores entenderem o que estão sentindo para que consigam buscar ajuda, caso precisem.

 

 

 

VERIDIANA POLICE

veridiana.police@fius.com.br

 

CAROLINA RAZERA

carolina.razera@fius.com.br

 

KAWANA TALITA SANTIAGO

kawana.santiago@fius.com.br

 

 


Fontes:

https://www.mentalhealth.org.uk/sites/default/files/how-to-support-mental-health-at-work.pdf

https://news.un.org/pt/story/2016/04/1547361-depressao-e-ansiedade-custam-por-ano-us-1-trilhao-economia-global

http://www.tst.jus.br/web/trabalhoseguro/programa/-/asset_publisher/0SUp/content/transtornos-mentais-relacionados-ao-trabalho-sao-desafios-a-serem-enfrentados-na-nova-organizacao-do-trabalho?inheritRedirect=false

https://www.tst.jus.br/web/guest/noticias/-/asset_publisher/89Dk/content/id/27270562/pop_up?_com_liferay_asset_publisher_web_portlet_AssetPublisherPortlet_INSTANCE_89Dk_viewMode=print&_com_liferay_asset_publisher_web_portlet_AssetPublisherPortlet_INSTANCE_89Dk_languageId=pt_BR

https://mpt.mp.br/pgt/noticias/nota-tecnica-n-17-sobre-trabalho-remoto-gt-covid-19-e-gt-nanotecnologia-1.pdf?fbclid=IwAR0qIu5h61T9U4VH-7IxcDmDfNEbXcUATURtUYamM_p7WLnzE0aaHw9q4Uc

https://jornal.usp.br/atualidades/cobranca-por-produtividade-na-pandemia-pode-levar-a-sindrome-de-burnout/

https://vocerh.abril.com.br/politicasepraticas/izabella-camargo-conheca-7-comportamentos-toxicos-para-a-saude-mental/