Estamos na era das Soft Skills! Diferentemente das Hard Skills, que podem ser ensinadas de forma mais tranquila, as Soft Skills são as habilidades que compõem a personalidade e o comportamento dos profissionais, tais como aptidões mentais e sociais, fundadas no pilar da inteligência emocional, como diria Daniel Goleman, especialista neste assunto. Segundo ele, as Soft Skills são traços e comportamentos que caracterizam nossos relacionamentos com outras pessoas.

Em momentos revolucionários de grandes marcos históricos, que mudaram eras, como por exemplo a que vivemos, habilidades como adaptabilidade, resiliência, colaboração entre outras categorizaram os profissionais.

É nítida a mudança dos parâmetros que compõem um excelente profissional ao longo dos tempos, há alguns anos, por exemplo, afirmávamos que não haveria lugar no mercado de trabalho para quem não possuísse domínio da datilografia, e hoje, parte dos profissionais nem se quer tocaram ou conhecem uma máquina de escrever.

Com a evolução das formas e técnicas de aprendizado aliadas às necessidades e mudanças constantes do mundo corporativo, torna-se evidente, no decorrer do tempo, que bons currículos, por si só, não são capazes de conservar bons empregos, de modo que, além de graduações, especializações e MBA’s, as habilidades comportamentais fazem parte do conglomerado de requisitos essenciais para os profissionais.

 

Uma das Soft Skills que faz parte do nosso cotidiano é a Negociação

 

A Negociação é o método utilizado desde o início dos tempos para atingir objetivos e alcançar algo que se deseja, e, não é algo que se aprende, mas que pode e deve ser desenvolvido.

É certo que negociamos o tempo todo, desde o momento em que acordamos até quando vamos dormir, entretanto, o mercado de trabalho possui como requisito intrínseco, a fluência em negociação. Muito além da técnica e do conhecimento, são necessárias determinadas habilidades para atingir o objeto almejado, de modo que, o autocontrole, por exemplo, dará ao profissional a capacidade de manter-se firme quando receber um não ou estar sempre preparado ao receber uma proposta inviável.

Um profissional com percepções estratégicas entende que, ainda mais nesse momento de pandemia, é necessário que tenhamos equilíbrio, compressão e, inteligência emocional, pois, sempre podemos nos antecipar e negociar várias das situações vivenciadas ao longo dos dias. Podemos e devemos oferecer opções às partes envolvidasnos problemas que vivenciamos no dia a dia, que não há necessidade de suportarem um ônus desnecessário, como, por exemplo, recorrer ao sistema judiciário, gerando investimento de tempo e dinheiro, quando na verdade podia ter sido resolvido o problema através de uma boa rodada de negociação.

Tempo de negociação, sempre representa um bom investimento para todos os negócios.

E é nesse sentido que surge a necessidade de desenvolvimento de relacionamentos interpessoais, capacidades persuasivas e boa oratória para superar até mesmo as negociações mais complexas de forma eficaz, independentemente da área de trabalho, de modo que, a fluência em negociação será de grande valia para qualquer profissional, sem falar nos relacionamentos particulares.

No mundo corporativo é fundamental que o profissional tenha no seu portifólio de qualificações a NEGOCIAÇÃO, pois essa é uma competência que sempre trará vantagens nos relacionamentos profissionais e particulares. A fluência em negociação como Soft Skill é requisito dos mais importantes nos mais modernos processos de recrutamento e seleção de pessoas, considerando que, na era atual, o que nos diferencia são nossas habilidades comportamentais, e estas não estão fadadas ao esquecimento.

 

 

 

 

MATHEUS FRISON
matheus.frison@fius.com.br